O Jornal Noite & Dia, de olho na cidade, descobriu uma guerreira escondida, logo onde, na educação, a área mais importante da sociedade, que pode mudar o destino da humanidade. Por isso tivemos o cuidado de investigar onde poderíamos achar alguém que surgisse de baixo para cima, sem apadrinhamento político e de uma escola pública.  Ufa! Deu trabalho, mas achamos:  MARIA CONCEIÇÃO DE OLIVEIRA LOPES, esta mulher  batalhadora que veio de Ipirá e que nasceu vocacionada para uma nova educação no mundo atual, onde os desafios são enormes e ela resolveu enfrentar sem medo. Por isso nós a reconhecemos como a GUERREIRA PARA UMA EDUCAÇÃO SUSTENTÁVEL E PACÍFICA.  Agora saiba porquê.

Antes de falarmos da guerreira, vamos falar de suas ações e da instituição que está propiciando esta nova educação:

A INSTITUIÇÃO: COLÉGIO ESTADUAL TEOTÔNIO VILELA

O Colégio Estadual Teotônio Vilela (CETV) situado no Conjunto João Paulo II, bairro Mangabeira, município de Feira de Santana-BA, teve sua autorização de funcionamento em 09/04/1988. Esta Unidade de Ensino foi criada para atender a solicitações dos moradores da comunidade local. Em 1995, o CETV obteve autorização para implantar o Ensino Médio, atendendo, a partir de então, alunos oriundos de outros bairros de Feira de Santana, a exemplo de Cidade Nova, Parque Ipê, Loteamento Modelo, Alto do Papagaio, Agrovila e Santa Rita.

Nos últimos anos, o CETV vem passando por períodos de transição. Após duas gestões de indicação política o Colégio entrou em estagnação, pois os indicados não conheciam a realidade da comunidade. O atual governo teve a criatividade de resolver o modelo adotando o critério da escolha da gestão pela comunidade escolar, dando um exemplo de democracia. Parabéns! A gestão atual nasceu dessa nova fase, eleita democraticamente pela comunidade escolar e ratificada num segundo mandato (Maria da Conceição Oliveira Lopes, Tânia Maria Nascimento Mascarenhas, Cláudia dos Santos Gomes e Kleidiane Santiago Pereira Costa). Elas deram a volta por cima e deram início ao processo de ascensão do CETV, na busca de uma educação sustentável e pacífica digna e merecedora da comunidade que circunda a instituição de ensino e dos bairros vizinhos.

AS INICIATIVAS

Inúmeros projetos pedagógicos interdisciplinares norteiam a qualidade do ensino no CETV, promovendo uma educação voltada para valores que aproximam a escola da vida, formando seres humanos críticos, pensantes e conscientes e, construindo uma educação pública de qualidade.

Como se não bastassem os projetos ao longo de sua gestão, o CETV implantou de forma democrática, em 21 de setembro de 2013 – Dia Internacional da Paz – O PROGRAMA SEMEANDO A PAZ PARA O CULTIVO DE UM AMBIENTE SUSTENTÁVEL, em parceria com o Programa Permanente ECOBAIRRO de responsabilidade da ONG internacional Instituto Roerich da Paz e Cultura do Brasil e que tem apoio institucional das Nações Unidas. O Ecobairro tem 10 anos de atuação no Brasil, em São Paulo, Goiânia/Brasília, Salvador e agora foi trazido para Feira de Santana pela Reserva Guyrá. O Ecobairro de Feira de Santana reconheceu, pelos esforços dessa gestão, a escola fértil para ser o Núcleo de Educação Sustentável e Pacífica, modelo para alimentar toda a rede pública e privada na direção da EDUCAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL E CULTURA DE PAZ, um apelo das Nações Unidas, da qual o Brasil é signatário.

O Programa Semeando a Paz para o Cultivo de Um Ambiente Sustentável foi instituído de forma democrática pelos estudantes, famílias, professores, funcionários e parceiros da escola, criando missão, visão e valores que estão alimentando todos os projetos existentes no Colégio com os princípios da cultura de paz e da educação para o desenvolvimento sustentável. Quando falamos de desenvolvimento sustentável estamos falando do equilíbrio entre as necessidades sociais, econômicas e ambientais, e para fazer esse equilíbrio é necessária a cultura de paz. Vamos mudar o mundo, mas sem violência. O Programa é de longo prazo, porque ele vem para mudar uma cultura, e os especialistas dizem que para uma mudança de cultura são necessários pelo menos dez anos de ações continuadas e ajustes no modelo de pensamento, para finalmente mudarmos o modelo de fazer, ou seja, sermos sustentáveis e pacíficos. Essa é a meta concreta da nova educação para o nosso século, já que a ONU recentemente gritou em voz alta que os países precisam urgentemente reformular seu modelo de desenvolvimento, proteger as futuras gerações e a preservação dos recursos renováveis, com relações pacíficas e com uma economia verde que gere abundância e erradique a pobreza sem destruir o planeta. E,  nessa perspectiva,  o CETV ousou enfrentar o desafio.

A GUERREIRA

Professora Maria da Conceição de Oliveira Lopes, 40, nascida em Ipirá, licenciada em Letras Vernáculas, especializada em Educação e Pluralidade Sócio Cultural/UEFS, casada, mãe, dona de casa e gestora há 6 anos do CETV.

Mulher de temperamento forte mas amável, que sabe o que quer e tem visão clara, contagia com suas aulas. Ativista da paz e amante da vida.

Veja o que ela pensa em três perguntas:

  1. O que você atribui a violência intraescolar?

 

Conceição: Atribuo a vários aspectos: influência negativa da mídia (os meios de comunicação não mostram as coisas positivas que muitos jovens fazem, além de disseminar a inversão de valores); a falta de estrutura familiar, a permissividade excessiva, a falta de inteligência emocional, de educação das emoções, entre outros.

  1. O que precisa mudar no sistema de educação?

 

Conceição: Muitos projetos que estimulam o potencial artístico e científico do aluno bem como programas que favorecem o acesso às universidades têm sido uma ótima iniciativa. Mas muita coisa precisa mudar, a começar pelas políticas educacionais que deveriam ser formuladas a partir da realidade circundante. E quem conhece essa realidade é quem está na base do processo: dirigentes escolares e professores, que convivem dia a dia com as problemáticas da educação.

  1. Como você vê a Educação para o Desenvolvimento Sustentável e Cultura de Paz? 

Conceição: Acredito que é um caminho para tentarmos diminuir a violência intra e extraescolar. São muitas questões para a escola dar conta, mas precisamos fazer um trabalho de esforço conjunto voltado para a educação das emoções, uma educação preocupada com a formação de indivíduos sustentáveis, capazes de administrar suas frustrações, decepções e de imbuir-se de um espírito cooperativo e solidário.

O Jornal Noite & Dia quer parabenizar não só esta guerreira, mas toda sua equipe de trabalho, estudantes, famílias, parceiros pela proeza de presentear nossa cidade com essas iniciativas, uma luz no final do túnel na educação em nossa Feira de Santana. Que tenhamos muitas Marias Conceição na educação, esta mulher visionária que suportou todas as limitações de uma escola pública e que ao mesmo tempo não perdeu a meta de educar, com uma educação do futuro presente, uma educação que revoluciona de forma pacífica e sustentável. Parabéns, Maria Conceição, parabéns CETV!

Publicado no Jornal NoiteDia – Nº 815 de 28/11 a 04/12/2014 – Feira de Santana – Bahia