Madonna Oriflamma – 1932, Pintura Nicholas Roerich (1874-1947)

Em 15 de abril de 1935, foi assinado na Casa Branca dos Estados Unidos, por 21 países das Américas, incluindo o Brasil, o Pacto Internacional Roerich da Paz e Cultura, conhecido também como Tratado de União Cultural.
Esse Tratado fortalece o ideal de que os países devam se unir através da cultura e preservem seu patrimônio cultural, tanto em época de guerra como em época de paz. Ele inclui o uso da Bandeira Internacional da Paz e Cultura nos locais a serem preservados e protegidos. Conheça o Pacto Internacional na íntegra no link http://roerich.org.br/portal/pacto-roerich/

Esta foi a primeira vez na história do mundo que a CULTURA é vista como a base para os ACORDOS INTERNACIONAIS e também como instrumento de PAZ. Esse acordo traz a semente do futuro, até porque os países ainda fazem acordos a partir da economia e não pela cultura, ou seja, pelo o que povo tem e não pelo que o povo é, pois a cultura é a expressão criativa dos povos, a sua beleza e a sua identidade.

A palavra CULTURA é a junção do termo CULT que significa cultivo e UR que significa luz, portanto cultivo de luz. Está longe de ser apenas os hábitos dos povos, mas a luz que eles expressam através da sua criatividade e beleza.
Nesta época em que as fronteiras entre os países pouco a pouco estão sendo derrubadas, e uma consciência de internacionalização vem crescendo, trazendo a percepção de que moramos numa casa comum, a Terra, e pelos apelos recentes de harmonizar as necessidades sociais com as ambientais e econômicas, gerando o desenvolvimento sustentável, é necessário que cada povo preserve sua cultura e sua identidade.

Portanto, que cada país, cada Estado, cada município, cada bairro, cada casa e cada indivíduo preservem sua identidade cultural, afinal de contas, um jardim é tão belo quando existem vários tipos de flores e espécies.
A cidade de Feira de Santana, sensível ao Tratado Internacional da Paz e Cultura, aprovou, em 22 de abril de 2015, uma Lei que institui a data de 15 de Abril como o Dia Municipal de Preservação e Proteção do Patrimônio Natural e Cultural da Cidade e ainda, que seja utilizada a Bandeira Internacional da Paz e Cultura (http://roerich.org.br/portal/bandeira-da-paz-e-cultura/) nos locais públicos e privados que representem o Patrimônio Natural e Cultural do Município, além de periodicamente identificar os locais que devam ser protegidos e preservados.

O Ecobairro de Feira de Santana apresentou essa proposta ao então Secretário de Meio Ambiente e Recursos Naturais – Roberto Tourinho, que prontamente a encaminhou para o Presidente da Câmara de Vereadores – o vereador Ronny, que acolheu a Lei, sendo aprovada por unanimidade. Portanto Feira de Santana cumpriu um Pacto Internacional na Esfera Municipal, dando exemplo ao Estado, ao País e ao Mundo. Parabéns pela iniciativa!

Essa ação de proteger e preservar o patrimônio natural e cultural da cidade é de suma importância para este momento em que a nossa cidade começa a se internacionalizar, assumindo o compromisso com as Nações Unidas na implantação dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável – a Agenda 2030.
Portanto, vamos contribuir para consolidar a Lei que institui o Dia Municipal de Proteção e Preservação do Patrimônio Cultural e Natural, porque dessa forma teremos um desenvolvimento sustentável, sem perder nossa identidade cultural e nosso patrimônio natural. Conheça a Lei Municipal na íntegra pelo link http://www.feiradesantana.ba.leg.br/feira-de-santana-tera-dia-municipal-de-prevencao-e-protecao-do-patrimonio-natural-e-cultural/

Inspirados no Dia Municipal de Preservação e Proteção do Patrimônio Natural Cultural de Feira de Santana, sugerimos algumas atitudes:

Ações em você
• Reflita como você está preservando e protegendo o patrimônio natural e cultural de sua vida, resgatando suas heranças culturais
• Aprimore sua educação, sem ela não pode haver cultura
Ações em sua casa
• Reúna sua família e reflitam como melhor preservar a história da família e como a família pode ajudar também na preservação do patrimônio natural de sua casa e reflitam ainda sobre a importância de viver promovendo a paz e a cultura.
Ações em seu quarteirão ou condomínio
• Converse com a vizinhança para identificar os patrimônios naturais e culturais do entorno para serem protegidos e preservados
Ações em seu bairro
• Reúna as lideranças de seu bairro e organize um grupo de trabalho que possa ajudar ao poder público na preservação e proteção do patrimônio natural e cultural e participe do Hasteamento da Bandeira Internacional da Paz e Cultura nesses locais.
• Bairro sustentável promove a importância da preservação e proteção do patrimônio natural e cultural.

Encerramos com uma frase inspiradora do artista Nicholas Roerich(1874-1947), educador e pacifista, autor da iniciativa que criou o Tratado de União Cultural e que inspirou nossa cidade a seguir esse caminho:
“Onde há Paz, há Cultura; onde há Cultura, há Paz.”

Redação do Viva Sustentável