Sim, este é o desafio ao qual estamos sendo convidados: a amar a natureza. Esta é uma reflexão profunda, pois precisamos resgatar o princípio de que os seres humanos fazem parte da natureza, ou seja, nós somos natureza. Mas nos distanciamos tanto dessa realidade, que pensamos que estamos apartados dela, e o pior, pensávamos que podíamos fazer o que queríamos com a natureza sem gerar impactos na nossa vida e estávamos totalmente enganados.

Graças aos gritos da Natureza, através das questões que geram impactos no  meio ambiente, toda a humanidade foi convidada a reformular o estilo de vida. Precisamos repensar nossos modelos social e econômico, pois são eles que estão pondo em risco a continuidade da espécie humana na face da casa comum: a Terra. Portanto, para começarmos a reconstruir o mundo, é necessário amar a tudo e a todos os seres, mas acima de tudo amarmos a fonte de onde tudo se origina a qual muitos chamam de Deus!

Se tudo foi criado por Deus, quando estamos destruindo sua criação, estamos desrespeitando-o, e quando entendermos que a Natureza é sagrada e que faz parte do reino de Deus, vamos amá-la e respeitá-la em cada contato.  Assim, trouxemos algumas reflexões sagradas para esse despertar.

Segundo trechos do Evangelho de Marcos, no capítulo 4, é dito que o seguinte:

“Naquele tempo, Jesus disse à multidão:  “Com que mais poderemos comparar o Reino de Deus? Que parábola usaremos para representá-lo? O Reino de Deus é como um grão de mostarda que, ao ser semeado na terra, é a menor de todas as sementes da terra. Quando é semeado, cresce e se torna maior do que todas as hortaliças, e estende ramos tão grandes, que os pássaros do céu podem abrigar-se à sua sombra”.

Nos livros da Ética Viva, que datam do século passado é dito:

“… A Mãe do Mundo disse ao Criador: – “Quando a Terra estiver coberta com os véus … da ira, como penetrarão as gotas salvadoras da Graça?” E o Criador respondeu: – “É possível reunir as torrentes de Fogo que podem transpassar qualquer camada de trevas.” A Mãe do Mundo disse: – “Verdadeiramente, as centelhas de Fogo do Teu Espírito podem dar a salvação; mas quem as recolherá e guardará para usá-las quando forem necessárias?” O Criador respondeu: – “As árvores e ervas conservarão as Minhas centelhas, mas quando as folhas caírem, então que o deodar e suas irmãs conservem durante todo o ano, seus receptores do Fogo.”…  Atualmente, o homem cruza árvores frutíferas e plantas sem a supervisão apropriada, mas por meio de experimentos prolongados, deve-se observar como melhor preservar a substância ardente. Não se deve levianamente interferir na criatividade da Natureza.”

Nesses textos sagrados podemos ver indicações preciosas de comunhão do ser humano com a natureza e com Deus, não há separatividade. Portanto, se quisermos viver de forma sustentável vamos AMAR A NATUREZA!

Inspirados no AMOR PELA NATUREZA, sugerimos algumas atitudes:

Ações em você

  • Sinta em seu coração a união com Deus e com todos os seres da natureza, todos.
  • Afirme internamente: eu sou natureza, eu tenho natureza, e eu faço parte da natureza, e meu amor se intensificará por todos os seres criados por Deus
  • Faça uma reflexão: quais os hábitos de minha vida que estão destruindo a natureza e quais os que a renovam ?

Ações em sua casa

  • Reflita com sua família em torno da mesa: o que precisamos fazer para amar também a natureza, como seres criados por Deus?
  • Organize um piquenique com a família debaixo de uma árvore e reflitam sobre textos sagrados de acordo com a crença de todos, que integrem sua família com a natureza

Ações em seu quarteirão ou condomínio

  • Converse com a vizinhança sobre a importância de amar a natureza
  • Organize com a vizinhança plantio de árvores urbanas nas calçadas e reflitam juntos sobre textos sagrados que aumentem o amor pela natureza

Ações em seu bairro

  • Organize com as lideranças de seu bairro e com o poder público local um evento que planeje ações de AMOR PELA NATUREZA URBANA
  • Bairro sustentável ama a natureza urbana.

Finalizamos com uma  sábia frase indígena: “O que vocês chamam de sustentabilidade, nós chamamos de amor pela natureza.”

Redação do Viva Sustentável