Sabe aquelas tiradas das crianças que merecem ser anotadas para nunca nos esquecermos? Os raciocínios tortos que nos surpreendem e as respostas que dentro da lógica infantil acabam fazendo o maior sentido? Uma cartilha lançada pelo movimento Todos Pela Educação pode estimular a produção dessas pérolas proferidas pelas crianças, além de incentivar o diálogo dos pais com seus filhos a respeito das escolhas que fazem, das ideias que formam, dos dilemas que enfrentam e dos projetos de vida que constroem.

O projeto “100 perguntas que vão dar o que falar” traz questões pensadas para disparar conversas que visam apoiar uma aproximação autêntica com as crianças e os jovens.

O manual de perguntas – que pode ser impresso e utilizado em casa, ou respondido no próprio arquivo online para ser revisitado a qualquer momento – caracteriza-se como um suporte para os pais que querem arrancar respostas não monossilábicas de seus filhos. Por exemplo, as perguntas “O que você mais gosta de fazer na escola?” ou “Você leu na escola hoje? O quê?” trarão respostas muito mais completas do que o sim ou não respondidos quando perguntamos “A aula foi boa hoje?”.

100_perguntas.png
Creative Commons – CC BY 3.0100_perguntas.png

Reprodução – 100 perguntas que vão dar o que falar

Após cada uma das 100 perguntas do caderno, há um espaço para o registro de três respostas, que podem ser colhidas em situações e anos diferentes. Com o passar do tempo, é possível retomar uma pergunta já feita e comparar as respostas atuais com as anteriores.

Questões como “O que você pensa sobre o fato de as pessoas serem diferentes umas das outras?”, “Se você pudesse aumentar a quantidade de alguma coisa do mundo, o que escolheria?” e “Você acha que carrinho é brinquedo de menino e boneca, de menina?”, por exemplo, contribuem para um diálogo diferente do trivial, onde a criança é convidada a refletir como enxerga e o que espera do mundo.

A versão digital da cartilha pode ser acessada aqui.

 

Fonte: EBC