Sim, esta semana em que acontecerão as eleições em nosso Brasil, é uma semana em que alguns servidores da não-violência que transformaram o mundo fazem aniversário: São Francisco de Assis, Mahatma Ghandi e Nicholas Roerich, portanto eles podem nos inspirar a ter um voto consciente.

Mas afinal o que é a não-violência?

Ahimsa é o termo em sânscrito, idioma milenar da Índia traduzido para nosso idioma como Não-violência – significa “ausência de desejo de ferir ou matar”, é a prática pessoal de não causar sofrimento a si próprio ou a outros seres sob qualquer circunstância. Ela surgiu da crença de que ferir pessoas, animais ou o meio ambiente não são atitudes necessárias para se ter benefícios.

O conceito também possui elementos ativistas, como quando é usado como instrumento de mudança social. A exemplo de São Francisco de Assis na Igreja e na sociedade da época, outro fato relevante é a luta pela independência da Índia, liderada por Mahatma Gandhi, a luta pelos direitos civis dos negros norte-americanos, liderada por Martin Luther King, e a união de 21 países das Américas pela cultura com Nicholas Roerich, entre outros.

A não-violência é confundida com passividade, porém na passividade você não faz nada, e a não-violência é a ausência da violência em suas ações, evitando qualquer tipo de dano nas atitudes.

Trazendo para o Brasil atual, que está banhado de sangue em seu território por tanta violência, marcada também na atual eleição, em que os discursos de ódio por alguns candidatos, candidatas e eleitores, transformou em alguns momentos as eleições numa arena de gladiadores, tendo como marco um candidato a presidência esfaqueado.

A violência externa e visíveis são precedidas por pensamentos e sentimentos de ódio que estimulam atos sangrentos. Por isso que as Nações Unidas que têm o objetivo de preservar a paz entre os povos, fundamentou que “a guerra começa nas mentes humanas, e é lá que devemos erradicá-la.”

Se Gandhi conseguiu libertar a Índia pela Não-Violência por que o Brasil não pode gerar uma grande transformação na área política através desse método que evita grandes traumas e desunião?

Claro que é possível, e você pode começar pelo voto, a autoridade máxima da democracia representativa que está em suas mãos. Por isso chegou a hora de você decidir entre a violência ou na cultura de paz e não-violência, a escolha é sua.

São Francisco adotou a prática religiosa orando para ser um instrumento de paz, Gandhi através de reflexões filosóficas e jejuns viveu a não-violência e Nicholas Roerich através das artes e cultura, foi um ativista para unir os povos na paz. Observe como a não-violência pode ser praticada de diversas formas.

Inspirados na não-violência, sugerimos algumas atitudes para você eleger a não-violência e a cultura de paz.

Ações em você
• Faça uma meditação silenciosa e assuma o compromisso de não-violência com você e com todos os seres que o cercam
• Se você escolheu um candidato ou candidata que é promotor da cultura de violência tenha a coragem de mudar
• Quando for conversar com os eleitores, informe-os que a não-violência e a cultura de paz é quem erradica a violência nos diversos níveis de nossa vida

Ações em sua casa
• Reflita com a sua família sobre a importância de votar em candidatos e candidatas que querem transforma o Brasil pela cultura de paz e não-violência
• Faça a oração de São Francisco de Assis com a família, para que ela seja através de seus membros um instrumento da cultura de paz e não-violência

Ações em seu quarteirão ou condomínio
• Divulgue para seus vizinhos a importância de elegermos a não-violência e a cultura de paz nestas eleições

Ações em seu bairro
• Por onde passar divulgue sobre a importância de eleger a não-violência e a cultura de paz nestas eleições.

Desejamos que você faça uma escolha consciente e que reflita sobre esta frase de Martin Luther King: A não-violência é uma arma poderosa e justa. Realmente, é uma arma única na história, que corta sem ferir e enobrece quem a usa.

Agradecemos e desejamos que a cultura de paz e a não-violência sejam eleitas e lembre-se: isto é viver de forma sustentável.

Por: Redação do Viva Sustentável