Feira de Santana agora tem Feira Orgânica Certificada toda quarta e sábado!

O Viva Sustentável foi entrevistar o promotor dessa iniciativa que beneficiará nossa cidade, o nobre Agrônomo Mário Nunes Junior, profissional qualificado para defender a causa dos orgânicos, veja: formado em Engenharia Agronômica pela UNESP – Universidade Estadual Paulista e Mestre em Administração e Política de Recursos Minerais pela UNICAMP – Universidade Estadual de Campinas/SP. Possui vasta expertise na área Certificação Orgânica através dos Sistemas Participativos de Garantia – SPG. Desenvolve diversas atividade de Educação Ambiental em escolas e entidades sociais de Feira de Santana, todas de forma gratuita.

Vamos às oito perguntas do Viva Sustentável ao Prof. Mário:

1. Como surgiu a ideia de criar uma Feira Orgânica em Feira de Santana?
A proposta desta feira surgiu com a ideia de aumentar a disponibilidade de alimentos livres de venenos em nossas mesas. Além disto, a notória necessidade de incentivar os agricultores a produzir alimentos saudáveis para consumidores e para eles próprios, uma vez que esses sempre se expõem na linha de frente ao usar venenos sem serem alertados de forma clara e objetiva.

2. Quando e onde ela ocorrerá?
A feira ocorrerá na frente do Empório Saúde, resultado de uma parceria de sucesso entre a Refazenda e a Dra. Larissa, proprietária do Empório. O endereço é Rua Comandante Almiro, 39 – Centro, Feira de Santana – BA, 44003-276. Quanto a data, demos início no dia 14/07, e acontecerá neste endereço todos os sábados.

Além de sábado, agora já ampliamos para toda quarta, também, veja neste folheto:

Estamos também com entrega a domicílio toda sexta.

3. Qual a importância de consumir produtos orgânicos?
A saúde é o maior bem que temos, pois sua falta inviabiliza todos os nossos maiores planos. Assim, consumir produtos orgânicos garante que os alimentos estão, de fato, realizando sua função bioquímica, além de garantir a plenitude da satisfação em se alimentar de forma saudável.
Ressalta-se que alimentos orgânicos possuem Legislação Normativa que regulamenta a produção, processamento, rotulagem e comercialização desses produtos no Brasil (Lei 10.831/03, pelo Decreto 6323/07 e diversas Instruções Normativas específicas).
4. Recentemente o Brasil aprovou o uso de veneno na agricultura, é possível revogar essa Lei?
Sim, pois vivemos em um Estado Democrático onde a liberdade por escolhas ainda é respeitada e garantida através da Constituição. O que nos limita é a nebulosidade criada em torno deste tema, principalmente na alegação da garantia da saúde pública ao se usar os agrotóxicos que, por exemplo, já são banidos em grande parte do mundo.

5. Como podemos fazer para que Feira de Santana consuma só orgânicos?
Infelizmente, não somos como a Dinamarca, onde o Governo tem por meta até 2020 duplicar a quantidade atual de terra cultivada organicamente, chegando em um futuro próximo a consumir 100% de produtos orgânicos. Feira de Santana não é um município com agricultura pulsante, mas pode vir a incentivar ainda mais os agricultores à produção de alimentos orgânicos, mudando não somente o modo de produção, mas a lógica de lidar com os recursos naturais. Assim, mobilizar os produtores e criar estratégias de comercialização sustentáveis será o primeiro passo para garantir o aumento constante do consumo de orgânicos em nosso município.

6. Por que os produtos orgânicos são mais caros do que os produtos envenenados e como podemos saber se estamos comprando o produto sem agrotóxicos?

Os produtos orgânicos são normatizados pelo Decreto 10.831/03 e demais Legislações, sendo que para se garantir a confiabilidade do processo de produção e comercialização de orgânicos foi criado o Selo Brasil Orgânico. Tal selo é a marca garantida de que o processo é orgânico e fiscalizado pelos entes governamentais competentes. Assim ressalta-se que a Feira de Orgânicos promovida pela Refazenda é a primeira onde os gêneros alimentícios são Certificados com o Selo Brasil Orgânico.
Em relação aos custos de produção, o maior entrave financeiro está no período de conversão para o sistema orgânico, pois o agricultor tem que mudar suas práticas e criar novas condições/infra estrutura na propriedade. No entanto, este investimento se reduz a cada ano, tornando os produtos mais baratos em relação aos primeiros anos de produção.

A importância dos Produtos Certificados com o Selo Brasil Orgânico recai na confiabilidade para com o consumidor. O selo Brasil Orgânico garante a procedência dos produtos e define por normatização quais os parâmetros necessários para ser de fato considerado orgânico, reconhecido inclusive na Legislação Brasileira – Lei 10.831/03.

7. Como você pretende ampliar as vendas de orgânico, quando o preço é desafiador em relação ao produto envenenado?
Como Engenheiro Agrônomo tenho o comprometimento humano de disseminar para todos os agricultores as melhores técnicas produtivas, e neste sentido trata-se do compromisso de mobilizar quem eu puder e quiser construir um modelo produtivo mais humano e justo para com todos. Assim, não tratamos só de comprar dos agricultores, mas de acompanhar a produção através de assessorias gratuitas. Assim, poder-se-á garantir o aumento da produção dentro de uma lógica de economia solidária e comércio justo. .

8. Qual mensagem você enviaria para os moradores de Feira de Santana para que eles optem pelos orgânicos em sua vida?
A vida é passageira, uma dádiva de Deus, a qual temos por obrigação sustentar de forma sábia e a mais saudável possível. Vamos pensar juntos como ter uma alimentação que permita nossa plenitude. Para isso comecemos pelo primeiro passo, participando. Então venham e vamos conversar sobre esse novo estilo de vida.

Professor Mário, o Viva Sustentável quer agradecer pela entrevista e desejar sucesso nesta iniciativa e conte conosco para criar a cultura de orgânicos em nossa cidade.

Redação do Viva Sustentável