Em pleno Outubro Rosa, em noite de lua crescente, Thalma Pinheiro Bastos ganha o Troféu M de Mulher na Educação na Cidade de Feira de Santana.

A iniciativa

Com o tema “Mulheres Guerreiras da Independência”, aconteceu ontem à noite, 22/10, no espaço Zilas Cerimonial – um local aconchegante que mistura grandeza com simplicidade e requinte, aberto para a integração com a natureza e o céu, a 17ª. Edição do Prêmio M de Mulher. O evento, idealizado pelo jornalista Paulo Norberto, reconhece e homenageia mulheres notáveis nas áreas de cultura, saúde, economia, educação e política. Quarenta mulheres que se destacaram durante o ano de 2015, em suas áreas de atuação, foram premiadas. O M de Mulher, ao longo desses anos, vem obtendo o apoio e credibilidade da sociedade feirense, com o objetivo de buscar e apresentar o talento profissional de competentes mulheres, que cada vez mais conquistam espaços firmes e valiosos, nos diversos segmentos da sociedade.

20151023_005659

Abrindo o evento, a professora Liacélia Pires, Presidente do Instituto Histórico e Geográfico de Feira de Santana, uma das premiadas da noite, falou sobre heroínas da Independência do Brasil na Bahia, destacando a atuação de Joana Angélica e Maria Quitéria, personagens marcantes na nossa história, e também da “Heroína Negra da Independência, Maria Filipa de Oliveira, pescadora, marisqueira, que liderou um grupo de homens e mulheres, lutando contra os portugueses na Ilha de Itaparica. A professora Liacélia lembrou que “essas mulheres guerreiras transgrediram padrões da sociedade, na luta pela nossa emancipação política”.

A mulher hoje trava outras lutas no dia a dia, e, através da história, o papel feminino na sociedade tem se transformado, havendo ainda um longo caminho a percorrer na busca pela igualdade de gêneros.

Igualdade entre Gêneros é condição para um mundo sustentável e pacífico

A Convenção de Haia para a Paz em seus postulados já sinalizava que só é possível alcançar a paz se houver a JUSTIÇA ENTRE GÊNEROS. Uma humanidade marcada pelo machismo e submissão da mulher não poderá jamais alcançar a paz e um mundo sustentável. Alguns pensadores dizem que a humanidade tem duas asas, uma masculina e outra feminina, se uma não estiver cumprindo seu papel não fará a humanidade voar rumo à liberdade.

A mulher, com sua própria força, vem se destacando e conquistando os espaços da sociedade em seus diversos setores. Ainda há muito o quê fazer por esse equilíbrio entre os gêneros e um Troféu como o M de Mulher cumpre uma das aspirações da humanidade expressa na última Assembléia das Nações Unidas de 25 de setembro passado em que foram aprovados os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, que trazem uma meta específica para esse tema: Objetivo 5. Alcançar a igualdade de gênero e empoderar todas as mulheres e meninas; e, na meta 5.5: Garantir a participação plena e efetiva das mulheres e a igualdade de oportunidades para a liderança em todos os níveis de tomada de decisão na vida política, econômica e pública. Portanto, um Troféu como o M de Mulher faz parte dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável da ONU.

Porque Thalma tem M de Mulher

Educadora e empresária, batizou o nome do Colégio com o nome de sua primeira filha Thaiane Pinheiro, conhecido com a sigla CTP, tem presente na vida diária a sua bela mãe, e, além disso, um filho que mora no exterior. Mãe e filha da professora Thalma cooperam nas ações do Colégio, onde a maioria do corpo docente são mulheres, que levam à frente a nobre tarefa de educar mais de 700 estudantes. Portanto, um colégio feminino, mas não feminista. Além disso, ela conserva os valores da família com um sólido casamento de 25 anos, o mesmo tempo de fundação do Colégio, obra edificada pelo seu marido; tijolo por tijolo ele construiu o templo do saber para que sua amada esposa possa realizar sua missão.

A professora Thalma, que recebeu a premiação em companhia de familiares, amigos e equipe de trabalho, vê na premiação “o resultado de um trabalho de amor e dedicação. O sentimento é de gratidão ao reconhecimento da cidade, às famílias que acreditam no nosso trabalho, aos alunos e a todos os colaboradores que fazem a escola crescer.”

IMG-20151023-WA0008

Ao lado da mãe, da filha Thaiane e do genro, Thalma diz “minha mãe é a base de tudo, está sempre ao meu lado”. Sobre a atuação da mulher na sociedade, ressalta que: “A gestão feminina é mais sensível, acolhedora, está mais voltada para o cuidar. O Colégio Thaiane Pinheiro considera importante e apoia a meta da ONU “Igualdade de Gêneros”, pois é necessário que o papel da mulher seja refletido na educação, para que as mudanças aconteçam.”

Perguntamos à professora Thalma, qual a fórmula para conciliar carreira e família, e ela afirmou que “O segredo é amor, renúncia e diálogo constante. A família é prioridade, eu preservo a minha família.”

Mulher serena, bem feminina, mas forte e com poder de realização, perseverante, tem dentro de si as sementes para uma nova educação. Agora ela está se engajando no movimento de Educação para construir uma Feira de Santana Sustentável e Pacífica, junto com o Programa Permanente Ecobairro, que tem apoio institucional das Nações Unidas, vislumbrando que não há mais limites para educar. Hoje, a educação tem que ser intra e extramuros, numa união entre o formal e o não formal, pensando no mundo e agindo aqui e cuidando das futuras gerações, que já estão na escola, cuja sala de aula é a cidade.

O Colégio Thaiane Pinheiro, localizado no Conjunto João Paulo, incluiu em seu método a Escola da Inteligência Emocional, do Doutor Augusto Cury, que permite um ambiente diferenciado para equilibrar as emoções num mundo tão conturbado.

IMG-20151023-WA0006

Parabéns Professora Thalma, parabéns CTP, pela conquista e reconhecimento! Que cada vez mais vocês possam cooperar com uma educação sustentável e pacífica, usando o M para uma cidade Melhor e celebrem essa conquista com toda sua comunidade escolar! Haja emoção, haja! Mas com sabedoria! Parabéns!!!

Por: Redação do Viva Sustentável