A campanha quer chamar a atenção para o vergonhoso déficit de saneamento básico no Brasil e suas conseqüências para a vida do mundo, nossa “Casa Comum”.

Igrejas e Organizações não governamentais estão desenvolvendo, no Brasil, uma campanha com o sugestivo lema: SANEAMENTO JÁ. A campanha quer chamar a atenção para o vergonhoso déficit de saneamento básico no Brasil e suas conseqüências para a vida do mundo, nossa “Casa Comum”.

SEGUNDO o Instituto Trata Brasil, saneamento básico “é o conjunto de medidas que visa preservar ou modificar as condições do meio ambiente, com a finalidade de prevenir doenças e promover a saúde, melhorar a qualidade de vida da população, a produtividade do indivíduo e facilitar a atividade econômica”.

OS EVENTOS climáticos intensos, cada vez mais freqüentes, assolam regiões do país, com graves conseqüências para as populações. Eles resultam das alterações no meio ambiente provocadas pelo ser humano. A proteção da “Casa Comum” requer relevantes mudanças, com a colaboração de todos, sabedores de que a Criação é um dom a ser cuidado.

O SANEAMENTO básico no Brasil não tem tido melhoras significativas porque falta vontade política. Muitos dos que tem o poder de mudar a situação não o fazem porque julgam que outras obras aparecem mais, dando aprovação ao seu mandato.Verbas destinadas ao saneamento, são desviadas para fins particulares e eleitoreiros, porque rendem mais votos.

PARA as pessoas viverem vida digna e com saúde, é indispensável haver a água potável, o esgoto sanitário, a limpeza urbana, o devido manejo dos resíduos sólidos, o controle de meios transmissores de doenças, a drenagem de águas pluviais. O déficit de nosso país nesses itens é assustador. Além disso, nosso modelo de sociedade está baseado no consumo e na aparência. Para suprir essas necessidades sacrificamos a Casa Comum, que é o espaço onde habitamos.

É PRECISO avançar no implemento do saneamento para melhorias nas condições de vida e saúde da população e promover a salubridade ambiental, sobretudo dos mananciais de água doce. Investir em saneamento é atender a um direito dos cidadãos. Como lembra o papa Francisco, o autêntico progresso implica melhoria global nas condições de vida e dos espaços onde transcorre a existência das pessoas.

Dom Itamar Vian
Arcebispo Emérito

Fonte: Acorda Cidade