No dia 24 de junho celebramos a festa de São João Batista. É bom ter motivos de alegria, sobretudo os que brotam de longa tradição, como é o caso dos festejos juninos. A alegria dos simples encontra o seu fundamento no Evangelho: “seu nascimento será alegria para todo o povo” (Lc 1,14).

JOÃO PAGOU com a vida a denúncia corajosa dos desmandos políticos de sua época. Com o vigor de sua autenticidade advertia a todos, alertando para a urgência da mudança de mentalidade, propondo posturas justas e honestas. Admoestava autoridades que o poder, por sua natureza, mais que qualquer outra situação humana, precisa de balizamento ético. Ninguém ficava excluído de suas admoestações.

FOI O CONFRONTO com autoridades políticas que levou João Batista ao testemunho radical de sua vida. Diante de Herodes, não teve medo de interpelar sua conduta. Com o dedo em riste, teve a coragem de lhe dizer com clareza: “Não te é lícito!” Assim, colocava com clareza o pressuposto ético, de que a política também precisa ter parâmetros que lhe definem a legitimidade e critérios que lhe apontam os procedimentos.

HOMEM de coragem, João Batista – o maior de todos os profetas – dizia aos cobradores de impostos “Não cobrem nada além da taxa estabelecida”. A outros que perguntavam. “E nós o que devemos fazer?” João respondia: “Não maltratem a ninguém, não façam acusações falsas, quem tiver comida, dê a quem não tem”. Foi preso e morto porque teve coragem de chamar a atenção do rei Herodes que vivia amasiado com a esposa de seu irmão, uma mulher adúltera, corrupta e corruptora (Mt 14,12).

UMA FOGUEIRA deu a grande notícia do nascimento de João. No Brasil, é necessário acender fogueiras de ética, coragem, esperança e transparência. São necessários “João” para que políticos e muitos brasileiros tenham mais honestidade na vida política. Você pode ser um deles. Esperamos por políticos e eleitores que pensem mais na construção de um Brasil melhor que em seus interesses pessoais.

GLORIOSO São João Batista, santificado no seio materno e canonizado pelo próprio Jesus, que fostes precursor, anunciando-o como mestre e como Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo, concedei-nos a graça de também darmos testemunho da verdade. Abençoai a todos os que vos invocam e fazei que aqui floresçam as virtudes que praticastes em vida. Amém.

+ Itamar Vian
Arcebispo Emérito
di.vianfs@ig.com.br