Vamos resgatar a palavra AMOR em nossa BANDEIRA DO BRASIL:
AMOR ORDEM PROGRESSO

O Ecobairro foi convidado a participar da Campanha INCLUA AMOR NA BANDEIRA e prontamente aceitamos. A aliança é feita nesta data histórica, 07 de setembro de 2015, quando nosso grito de liberdade de forma plena só será ouvido se houver amor, essa força motriz que é capaz de mudar o mundo, pois todos os heróis da história fizeram mudanças globais através do amor. Portanto, vamos fazer parte dessa atualização histórica em nossa Bandeira do Brasil, incluindo a palavra AMOR, e, para começar, nada como uma entrevista exclusiva para o Viva Sustentável com o Professor Carlos Alberto Emediato, Sociólogo, Doutor em Política da Educação pela Universidade de Stanford, Coordenador da Rede Global de Educação para Paz e Coordenador das atividades desta da Campanha INCLUA AMOR NA BANDEIRA.

VS: De onde surgiu a importância de incluir o nome AMOR na Bandeira do Brasil, além de Ordem e Progresso, e como funciona o Movimento Incluir o Amor da Bandeira?
Carlos Emediato: Este movimento começa junto com a República, uma vez que os militares e intelectuais positivistas do final do Século XIX propunham que todas as qualidades inspiradas pela frase do Augusto Comte fossem inscritas na Bandeira Nacional. Para os que não conhecem a frase é “Amor por Princípio, Ordem por Base, Progresso por Fim”. O Amor por Princípio ficou de fora.

Esta Campanha Amor na Bandeira, Amor no Brasil é basicamente uma campanha de Educação Pública, evocando a reflexão e a vontade de cada cidadão/cidadã. É um convite para se conectar com o Amor como Princípio em nós mesmos e no universo. Não há força maior que o Amor e sua capacidade de transformar, integrar, alegrar vai nos levar a outros níveis de convivência, justiça e bem estar social.

O formato da Campanha é um amplo espaço para a co-criação. Cada um expressando como sente, pensa, imagina, deseja o Princípio do Amor ativado em todas as esferas da nossa vida e da nação brasileira.

VS: Por que até hoje, com as iniciativas existentes, não foi feita a inclusão do AMOR na Bandeira do Brasil?

Carlos Emediato: Ao longo desses quase 126 anos de República, muitos se pronunciaram reclamando da exclusão do Amor na Bandeira. Noel Rosa fez uma música, o diretor de teatro José Celso Martinez criou uma cena dentro da peça Canudos mostrando o corte do Amor na Bandeira, o publicitário Carlito Maia sempre dizia que o Brasil só ia ter jeito quando se incluísse o Amor na Bandeira, o músico Jards Macalé compôs um CD dedicado a Amor Ordem Progresso.

Na área parlamentar, onde a mudança precisa ser aprovada, houve a iniciativa do Senador Darcy Ribeiro, escrevendo uma longa justificativa para a inclusão do Amor na Bandeira, o projeto de lei PL2179 de 2003 do Deputado Chico Alencar – PSOL-RJ, e o pronunciamento do Senador Eduardo Suplicy em apoio a esta Campanha e ao Projeto do Deputado Chico Alencar http://www.youtube.com/watch?v=cWiofhTXOKw .

No meu entendimento a bola está com a sociedade civil, com cada cidadão/ cidadã que precisa expressar com clareza sua vontade de que a palavra AMOR esteja na Bandeira. É um resgate histórico, incluir o que ficou de fora, e uma afirmação: queremos que o AMOR faça parte da nossa identidade nacional.

VS: Na atual crise ética que vivemos na política brasileira, como a inclusão do nome AMOR na Bandeira pode erradicar a corrupção?

Carlos Emediato: À medida que cada um de nós aciona o Princípio do Amor em suas vidas e trabalha para que ele tome forma generosa e solidária nos formatos da convivência social e da organização social, não somente a corrupção, mas muitos dos nossos males como a indiferença pelo sofrimento do outro, as injustiças e desrespeitos a direitos fundamentais que preservam nossa dignidade como seres humanos e outros mais vão deixando de ter vigência em nossas vidas. Onde acende-se a luz, a escuridão desaparece. Ativar o Amor como Princípio em nossas vidas tem consequências práticas, concretas, nos demanda mudar efetivamente.

VS: O mundo tem uma forma fácil de banalizar as palavras, e o AMOR é uma delas, até afirmações de que se matou por amor. Portanto, como o AMOR deve ser aplicado na esfera política, na nação e como cidadania, uma vez que a pretensão é assumir o AMOR como valor patriótico?

Carlos Emediato: O caminho prático nos ajuda nestas situações onde o significado se descolou de sua fonte. Igual ao poder que nos é extraído via mecanismos de separação e alienação, as palavras também perdem seu vigor de nos colocar em contato com a fonte, com a experiência real a qual elas devem sinalizar. Formas de solidariedade prática cotidiana efetiva – podemos nos perguntar a quem fomos úteis a cada dia. Podemos gerar mecanismos de cooperação onde essa solidariedade prática se torne operativa. O Amor tem a capacidade de nos evocar a Inteligência Criativa uma vez que não nos deixa indiferentes. O Amor como Princípio Ativo, igual aos medicamentos, cura. A participação movida pela solidariedade prática não se enfraquece ou despotencializa pelo ciclo da culpa e da reclamação. À medida que nos perdemos na reclamação e negatividades, afirmamos que o poder está no outro e deixamos de assumir a responsabilidade pelo nosso próprio poder. Não é esta a raiz da verdadeira democracia? O que nós queremos como pessoa e como nação?

VS: Qual a dificuldade para que o Brasil adote essa mudança na Bandeira?

Carlos Emediato: O Congresso Nacional precisa aprovar. Sabendo que colocar o AMOR na Bandeira é um desejo de uma parcela significativa da sociedade, os congressistas certamente acharão as formas adequadas para seguir com os trâmites parlamentares necessários. Antes disso a tarefa é nossa !! Precisa acontecer uma declaração clara de vontade individual e coletiva. Uma indicação de que mudanças inadiáveis queremos que se processem na sociedade brasileira. Afirmar para a sociedade brasileira, e que o resto do mundo ouça, que integrar o Amor como Princípio no nosso cotidiano é profundamente transformador, nos liberta de uma visão curta e de interesses que não se coadunam com as necessidades básicas e as aspirações dos brasileiros. O Amor por Princípio pode nos reconciliar com o que há de mais poderoso em cada um e com a vocação de um país capaz de acolher, cuidar e de se recriar diante dos desafios, desenvolvendo novas formas de convivência e de organização social.

VS: Como as pessoas, comunidades, organizações e cidades poderão contribuir com essa iniciativa?

Carlos Emediato: Esta Campanha é um convite à co-criação, a um exercício de cidadania prática e criativa. Cada brasileira/o pode expressar de sua forma como apoia o AMOR na Bandeira, AMOR no Brasil. Temos depoimentos de líderes de organizações de Cultura de Paz, performances de artistas, trabalhos criativos e divulgação como esta pela imprensa e internet. Para o dia 07 de Setembro estamos preparando um evento em São Paulo com oficinas que lidam com as questões do desmatamento, com a poluição da água, tecendo Bandeiras com Amor em telas de juta, performances, bandas, depoimentos. Gostaríamos que outras manifestações acontecessem no Brasil. Colocar o banner da campanha onde as pessoas se reúnem ou lugares que representam a cidade e o Brasil. Mas, há também professores estudando a questão histórica em sala de aula e deixando a questão para reflexão. Poemas sendo escritos. Grupos de diálogos e conversação sobre o tema podem ser criados. Podemos exercitar solidariedade prática diante de situações de competição, divisão, conflitos. São muitos jeitos, cada um pode criar o seu em apoio à Campanha, inclusive entrar em www.incluaamornabandeira.org votar e deixar seu comentário.

VS: Somos um país de espiritualidade Cristã em sua maioria, e o AMOR é a base do CRISTIANISMO e de todas as religiões, mesmo sendo laica a política, o movimento já fez uma articulação nacional, em especial com o Cristianismo, a exemplo de Leis de Iniciativa Popular, para consolidar esse pleito legítimo junto à República?

Carlos Emediato: Estamos trabalhando com pessoas ligadas a diversas religiões e movimentos sociais, mas nenhuma articulação nacional foi feita até o momento. Acredito que estamos no momento adequado para este resgate histórico e esta afirmação de cada brasileiro/a que deseja o AMOR ser expresso como sua identidade. Como esta é uma Campanha basicamente de Educação Pública, como me referi acima, instituições como as Igrejas Cristãs poderão atingir a grande maioria da população brasileira propondo esta reflexão a cada um dos cristãos. A universalidade do AMOR vai nos garantir o campo comum onde todos poderão tomar sua iniciativa e co-criar os caminhos que nos levarão a incluir o Amor na Bandeira do Brasil. Será uma contribuição não somente para os brasileiros, mas também para todos que ouvirem nossa afirmação, que transcende a dimensão simbólica e nos colocará, cotidianamente, diante da possibilidade do exercício de outro nível de consciência e ação, tendo o AMOR por princípio como foi proposto no final do século XIX.

VS: O Ecobairro tem como mote uma frase indígena de rara beleza: “O que vocês chamam de sustentabilidade, nós chamamos de AMOR pela natureza.” O que o Movimento Inclua Amor na Bandeira pode ajudar para que o Brasil seja uma referência em desenvolvimento sustentável através do AMOR?

Carlos Emediato: Muito bonito e verdadeiro. Me parece bem direto e claro. Está aí um caminho no qual o Ecobairro e as demais organizações ambientalistas podem atuar propondo uma ampla reflexão no espaço da Campanha. Veja a vigorosa, sensível e corajosa encíclica do Papa Francisco que afirma: “A humanidade está convocada a tomar consciência da necessidade de realizar mudanças de estilo de vida, de produção e de consumo”. Também que nossas formas atuais de organização econômica e do poder tem nos levado ao “uso irresponsável dos bens que Deus colocou na Terra”. O Cuidado da Casa Comum nos remete a cada instante ao Amor à Natureza como Princípio Ativo de transformação de estilos de vida e de reorganização das bases de nossa convivência humana. O Brasil tem diante de si a possibilidade de exercitar as formas práticas deste Amor que restaura as condições da vida, a harmonia que foi rompida por nossa visão e comportamentos equivocados e oferecer à humanidade um exemplo, que juntamente com outras iniciativas criativas e amorosas de outras nações vão nos levar a outro patamar civilizatório.

2

Professor Carlos Emediato, o Viva Sustentável agradece pela entrevista e pela aliança com o Ecobairro por esta campanha e parabeniza por esta cidadania amorosa. Vamos torcer e trabalhar para que o próximo 7 de setembro de 2016 já tenhamos o AMOR em nossa Bandeira e que já seja fruto do amor incandescente no coração de todos os seres que vivem em nosso país. Conte com o Ecobairro a cada segundo nesta nobre iniciativa.

Professor Carlos Emediato, o Viva Sustentável agradece pela entrevista e pela aliança com o Ecobairro por esta campanha e parabeniza por esta cidadania amorosa. Vamos torcer e trabalhar para que o próximo 7 de setembro de 2016 já tenhamos o AMOR em nossa Bandeira e que já seja fruto do amor incandescente no coração de todos os seres que vivem em nosso país. Conte com o Ecobairro a cada segundo nesta nobre iniciativa.

Vão aqui dicas do ECOBAIRRO, conforme nossa escala de transformação, para, a partir de você, o AMOR PULSAR NA BANDEIRA DO BRASIL:
Em você:
• Reflita como o AMOR pode ser ampliado dentro do seu coração de forma que ele possa invadir todas as partes do seu corpo, de suas emoções, seus pensamentos e em cada gesto.
• O que está lhe impedindo de AMAR?
• Você se AMA?
• Como é seu AMOR a DEUS? Se você não acredita em DEUS, qual sua crença em relação ao AMOR?
• Como AMAR de forma incondicional, que possa nos unir ao outro e libertá-lo?
• Você já pensou que precisamos AMAR todos os seres, desde as pessoas como tudo na natureza?

Em sua casa:
• Se você for casado, reflita com seu par como aumentar o AMOR entre vocês dois, a ponto de a cada momento vocês se tornarem felizes, superando todos os obstáculos juntos, ou seja, a cada obstáculo vocês se unirem mais ainda.
• Se você for solteiro converse com a pessoa de sua casa que mais você tem afinidade e se perguntem: como posso AMAR, independente de estar solteiro?
• Reflita com todos em sua casa sobre como fazer com que a família viva no amor e na paz, e tendo como mote a superação dos obstáculos juntos e ainda lembrando que uma família que tem amor, a cada dificuldade se une ainda mais.
• Realize um almoço, um jantar, um chá e reúna todos em torno da mesa com o tema: COMO PODEMOS NUTRIR O AMOR EM NOSSA FAMÍLIA PARA QUE ELE SEJA A NOSSA BANDEIRA?

Em seu condomínio ou quarteirão:
• Convide seu vizinho para apoiar a campanha INCLUA AMOR NA BANDEIRA DO BRASIL e sugira que ele faça o mesmo que você está fazendo em você e em sua casa para que este AMOR no Brasil esteja vivo!

Em seu bairro:
• Reúna lideranças de seu bairro e organize um evento com o tema: COMO AMAR NOSSO BAIRRO E APOIAR A CAMPANHA DE INCLUA AMOR EM NOSSA BANDEIRA?
• Lembre-se de quando realizar esse evento, convidar lideranças da cidade, para que a cidade faça parte dessa expansão, para que seja uma cidade de AMOR em sintonia com a Campanha Inclua Amor na Bandeira.
• Sugira que as Escolas do seu bairro reflitam com os estudantes e elaborem projetos inspirados no tema INCLUA AMOR NA BANDEIRA.

Lembre-se de que para pulsar o AMOR NA BANDEIRA de nosso Brasil, é necessário que pulsemos AMOR em nós, em nossa casa, no quarteirão ou condomínio, no nosso bairro e em nossa cidade.
Portanto, quando vivermos como brasileiros que praticam o AMOR, será mais criativo por ordem neste país para que tenhamos progresso; um progresso baseado no desenvolvimento sustentável, pois o Brasil tem um compromisso com o verde de nosso planeta.

CADASTRE-SE no site www.incluaamornabandeira.org

Veja os depoimentos de nobres ativistas do Brasil:

Fábio Feldman – https://youtu.be/r04P5-f7Ulo
Soninha Francine – http://youtu.be/ZoOouqkExyg
Luciana Ferraz – https://youtu.be/oLPOsPh1edk
Iradj Eghrari – http://youtu.be/e8Ru7g40gR8
Arnaldo Bassoli – http://youtu.be/3mWPcvQa0SI
Luciana Ferraz – https://youtu.be/oLPOsPh1edk

Por: Redação Viva Sustentável