Éramos incentivados a nos orgulhar de nosso Brasil, mas parece que, hoje, a palavra patriotismo saiu do nosso vocabulário.

“Ò Pátria amada, idolatrada, salve, salve!” É o que antigamente cantávamos nas escolas, com o peito estufado para a frente. Éramos incentivados a nos orgulhar de nosso Brasil, mas parece que, hoje, a palavra patriotismo saiu do nosso vocabulário.

PÁTRIA vem de “pai” é a “terra dos pais”, o berço onde os pais acalentam e criam seus filhos, dando-lhes sempre mais como alimento os ideais da dignidade, da igualdade, da liberdade e do uso geral dos bens oferecidos pelo solo pátrio. “Pátria é a família ampliada” disse Rui Barbosa.

O BRASIL é um País: uma realidade física, o conjunto de seu povo e seu território. É também uma Nação: conjunto de pessoas que nasceram neste território e aqui habitam, tendo em comum, além de origens, a história, os costumes, a língua. É ainda um Estado: ocupa um território social, política e juridicamente organizado, sujeito á autoridade de um governo e aparelhado para tríplice tarefa de legislar, administrar e distribuir a justiça.

NESTE DIA 7 de setembro as fanfarras e os desfiles de escolas com bandeiras percorrem avenidas de cidades do Brasil. Paradas militares, homenagens de escolas e outras entidades realizam manifestações, chamadas oficiais par comemorar o Dia da Pátria, a nossa independência. Podemos nos perguntar: o que fazer para o Brasil tornar-se a “Pátria amada”, na qual todos os seus filhos e filhas cumprem seus deveres e sejam respeitados os seus direitos?

NA MESMA data, será ouvido, também o Grito dos Excluídos, que neste ano tem como tema: “Este sistema é insustentável”. É um clamor por transparência, justiça e paz que deverá ser acolhido por todos e traduzir-se em atitudes de solidariedade humana e compromisso com a cidadania para que os brasileiros tenham vida com dignidade.

NOSSO compromisso, pela Pátria, deve manifesta-se com medidas concretas. Que os governantes e a sociedade encontrem decisões acertadas para a educação, para uma justa reforma agrária, um melhor atendimento à saúde do povo, justa distribuição de renda, segurança pública, combate à corrupção, à violência, às desigualdades sociais e defesa do meio ambiente.

NO DIA DA PÁTRIA, queremos unir nossas preces confiantes para, pela intercessão de Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil, atrair bênçãos de Deus, sobre o povo brasileiro e seus governantes. Que todos possamos assumir o compromisso de promover o bem comum, a justiça e a paz. Esse é o Brasil que queremos.

+ Itamar Vian
Arcebispo Emérito