Em muitos países, a data é celebrada no dia 14 de fevereiro, dia de São Valentim, o santo que realizava muitos casamentos.

Comemora-se, neste dia 12 de junho, o Dia dos Namorados. A data, apesar de ser muito antiga, não é bem definida. No Brasil, parece ter sido fixada neste dia por ser véspera do dia de Santo Antônio, o santo casamenteiro e o santo defensor dos valores da família. Em muitos países, a data é celebrada no dia 14 de fevereiro, dia de São Valentim, o santo que realizava muitos casamentos.

TODA a vida do ser humano é permeada de relações afetivas. Na infância, com os pais, familiares e amigos; na adolescência, com o desenvolvimento da sexualidade, surge uma relação afetiva diferente; é a fase do namoro. Para qualquer pessoa que é vocacionada ao matrimônio, o namoro significa uma etapa muito importante, e deve ser vivida com seriedade e serenidade.

PARA QUE o(a) jovem possa aventurar-se nessa tarefa, é preciso que ele(a) tenha alcançado certa independência da família dos amigos, bem como superado algumas dificuldades individuais, pois essas poderão embaraçá-lo(a) nessa fase da vida. Tais dificuldades podem-se apresentar sob a forma de timidez, medo de não ser aceito. Ter uma boa auto-estima significa aceitar, gostar e valorizar a si mesmo. Quando a pessoa não se gosta, é difícil admitir que outra possa amá-lo.

O NAMORO é um estágio em que duas pessoas se atraem por algum motivo, iniciam uma aproximação afetiva com a finalidade de se conhecerem e de partilharem sentimentos e afetos; tanto pode prosseguir para um vínculo mais sério, como noivado-casamento, como pode chegar a um desvinculo. Qualquer que seja a opção será positiva, pois nada mais natural e saudável do que o término de um namoro que está trazendo mais tristeza que alegria.

O TEMPO de namoro e de noivado é um tempo sagrado. É tempo de conhecer e deixar-se conhecer. É tempo de avaliar e deixar-se avaliar. É tempo de respeitar as etapas, os sentimentos e a individualidade de cada um. Quando o namoro for responsável, a vida a dois será uma história de amor. Mais do que querer a pessoa certa, o candidato precisa ser a pessoa certa.

O NAMORO e o noivado são etapas para elaborar juntos um projeto a dois. Muitas vezes, não existe um projeto a dois, mas dois egoísmos morando na mesma casa. O Evangelho fala em construir sobre a rocha. Na celebração do “Dia dos Namorados”, convocamos os jovens para que construam suas vidas sobre a rocha, dando estabilidade ao casamento. Muitos casam, apostando na subjetividade e na busca da satisfação. Isto é construir sobre a areia. Que Deus abençoe todos os namorados!

+ Itamar Vian
Arcebispo Metropolitano
[email protected]